Sentires

Não busques a terra e muito menos o sonho, a ternura é um vazio de mar e cansaço. Neste voo para além o grito desconexo. Terras, voracidades, distâncias e o austero grito da margem contrária. Luares meu amor, luares. E a vida discorre acontecida de múltiplos pesadelos de uma vida transcorrida de signos. Não busques a terra, procura sim o intrísico sentido de cada margem.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s