Memórias

Sou hora desconexa e descomprimida,Sublevante estar. Português “donde” mesmo? Maringué, casa Banana, Moçambique D? “Daonde” mesmo? Gravitam ecos de I’bane, cioso de seus coqueiros. Sei lá a quantas ando. Guerrilheiro dos alvores e do sucesso milenar. Estou merda de heroicidade. Uniforme, emocionalmente certo e previsível . A baioneta é um canto de guerra patriótico. Quero amar a estrada

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s