Reflexões

Quero é um desejo, quero é voo. E neste caminhar os sonhos divagam. Estaríamos num voo incerto de luz. Vozes dispersas de fastio, vozes incertas de mar. O sangue despovoa miragens de cal e brita. Este mar, devaneio cruel da ousadia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s