Vozes Perdidas

Quis amar o tempo da nossa ilusão. Vozes dispersas de enfado. Na margem oposta da vida a nossa exaustão. Estamos desavindos, memória dispersa. Terra do nosso descaso. Alegre seja o eco da terra. E tudo nos falta como a incerteza, luas de sangue e eclipse. Memória cativa de reminiscência. Aqui em parte indefinível a volubilidade dos nossos signos. Contradito eco.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s