Perplexidades

Além da margem o voo. Nossa Terra dispersa. Neste querer o sonho divaga. Amando o luar, perene fosse a raiva, insepulta lua. Linguagem estranha e difusa. Neste querer o sonho é uma premissa acantonada. Seria ou não, quem o poderia dizer? Fosse estranha a fatuidade do desencontro. Além destas margens o nosso sono. Dilecta margem do grito. Amo-vos sim. Margem oculta do nosso desencontro. Aqui vos tenho como nunca, respigos de mar e ousadia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s